Sandra Celas nasceu em Lisboa. Fez o curso de expressão dramática no teatro de Carnide, palco onde se estreou com a peça “Restos” de Bernardo Santareno em 1997. Mais tarde frequentou o curso de actores no IFICT. Na sua formação destacam-se ainda o workshop de “Sense memories” e “Script analysis” orientado por Michael Margotta (um dos fundadores do “Métodoe actual director do Actor´s Studio di Roma), o workshop com Marcia Haufrech e o curso de Técnica Meisner com John Frey.

 Desde 2002 que exerce profissionalmente a actividade de actriz, tendo integrado o elenco de várias peças de teatro entre as quais Viriato com encenação de Jorge Fraga e Vai Vem com encenação de José Wallenstein; séries/novelas para televisão como Inspector Max, Deixa-me Amar ou Morangos com Açúcar, assim como diversos telefilmes e curtas-metragens.


Sofia Aparício iniciou-se no mundo da representação em 1997 com A Dama das Camélias, com encenação de Carlos Avilez no Teatro Experimental de Cascais.

Em Teatro, fez parte de várias produções do Teatro Aberto, como Paisagens Americanas (2004) ou O Bosque (2007), ambas encenações de João Lopes, ou "O Caracal", encenada pelo Alberto Seixas Santos nos Artistas Unidos.

Em televisão, participou, entre outros, em Super Pai (2000), Fúria de Viver (2001), Vingança (2007) e mais recentemente em O que as Mulheres Querem (2011).

Em cinema, participou "E o tempo passa" (Alberto Seixas Santos), "Contacto" (Nicolau Breyner) e "I'll see you in my dreams" (Miguel Angel Vivas) entre outros.

Tem apostado em formações de curta duração, tendo trabalhado com Marcia Haufrecht, Lenard Petit, Guti Fraga e John Frey, completando em 2013 o curso anual do JFSA em Técnica de Meisner.


Tiago Fernandes nasceu em Lisboa, tendo iniciado a sua carreira de actor em 2000, no CTRIP, grupo de teatro académico da Faculdade de Direito da Univ. Nova de Lisboa, onde, de resto, se licenciou.

 Em 2006, passou a integrar a Companhia de Actores, grupo que, entre outros projectos, produz a mostrainternacional de teatro MITO.

Desde 2001 que tem vindo a desenvolver a sua formação,destacando os cursos que frequentou sobre Interpretação (com António Terra, director da Companhia de Actores), Movimento (com Sandra Roque, bailarina e actriz), Expressão Dramática e Técnica d’ O Método (com Bruno Schiappa, Mestre em Estudos de Teatro pela Faculdade de Letras da Univ. de Lisboa) e Técnica de Meisner (com John Frey).

Além de peças como “Navalha na Carne”, encenada por António Terra, “O Espírito da Poesia”, uma criação da Companhia de Actores, “Viver é Raso”, escrita e encenada por Amauri Tangará (colaborador frequente d’O Bando) ou “Os Cães”, de Alexander Gerner, Tiago Fernandes tem também protagonizado algumas curtas-metragens, tais como “Inferno”, de Adriano Mendes e “Ligação Interrompida”, de Frederico Weinholtz, realizador recentemente premiado no Concurso 48 Hours Project Lisbon.


Margarida Moreira nasceu em Lisboa e estreia-se como actriz profissional em 1999 no palco da Casa do Artista, auditório Armando Cortez, pelas mãos de Pedro Varela com a peça Trainspotting.

Em 2003 conclui o curso profissional da Act e faz vários workshops para complementar a sua formação com professores como François Hoffman, Michael Margotta um dos fundadores do “Método” e diretor do Actor´s Studio di Roma, Marie Brand, Valentin Teplyakov professor da GITIF - Academia Russa de artes de Moscovo e John Frey do Studio for Actors sobre a técnica de Meinsner.

Em cinema participa em várias curtas-metragens onde destaca O teu sapato que lhe vale uma nomeação de melhor atriz em curta-metragem pelo CinEuphoria 2012. Participa também em filmes como Fatalista e Corrupção de João Botelho e mais recentemente no filme Bairro.

Em televisão participa em várias produções entre elas os Morangos com Açúcar, Nunca desistas de mim e a série Bairro da Estrela Polar.

No teatro trabalha sob a direção de José Carlos Garcia, Attílio Riccó, Stefano Vizioli, João Lourenço, Maria Emília Correia, Michel Simeão, entre outros. Destacam-se trabalhos como A culpa de Peter Pina e Chorar e secar onde trabalha com Raquel Dias e através da qual é convidada para fazer parte da Voz Humana.


Catarina Mago é actriz, formada na Escola Profissional de Teatro de Cascais, desde 2005.

Tem trabalhado em várias peças de teatro, principalmente teatro infantil, com a empresa Cativar a Cores. 

Em televisão, foi a personagem Carla na série Diário de Sofia e, mais recentemente, foi Beatriz na série Lua Vermelha. Foi também Sabrine, na série Maternidade.

Recentemente participou, também, na curta metragem Um Dia Longo, realizada por Sérgio Graciano.

Em 2008, foi a voz de Titu, no cd musical Tu e Titu.

Tem apostado sempre na formação tanto de canto como de interpretação, tendo acabado em 2011 o curso John Frey Studio for Actors, de Técnica de Meisner.


Luís Eusébio iniciou-se na representação em 2004.

Tirou várias formações no seu percurso destacando-se entre outras em 2004 o curso de Formação para Teatro com Maria Amélia Videira e Ricardo Carriço na Confluência Associação Cultural, em 2013 e novamente em 2014 o curso na “Técnica de Meisner” na John Frey Studio for Actors, também em 2014 o workshop para actores profissionais com Tomi Janezic na ACT, em 2015 o curso com João Mota no Teatro A Comuna, continuando sempre a sua formação de momento frequenta o curso com Lígia Roque e João Reis.

No cinema participou em várias curtas-metragens destacando-se as premiadas “Turn”, “O Que Eu Entendo Por Amor” – onde colaborou também na direcção de actores – e “A Demora”.

No teatro destacam-se “De Menina Cascais a Cascais Menino” (Casino Estoril), “S.P.O.T.” (Espaço Teatro Confluência) e ambos os Showcases na John Frey Studio for Actors em 2014 (Teatro do Bairro) e em 2015 (Sala principal - Teatro da Comuna)

Na televisão participou como “Kiko” em “Diário de Sofia” (RTP), como “Zé Maria” em “Rebelde Way” (SIC), como “Meu Puto” na série “Overacting” (SIC RADICAL), com participações nas novelas “Água de Mar” (RTP) e “Coração D´ouro” (SIC) e mais recentemente como “Simão” na série “Aposta que Amas” (SIC RADICAL). "

 


Carolina Abrantes nasceu em 1982, em Lisboa. É actriz, encenadora e dá aulas de Iniciação ao Teatro e de Expressão Dramática a adultos e crianças.
A sua formação artística começa aos 6 anos com aulas de Ballet, realizando espectáculos no Teatro Maria Matos e no Teatro Tivoli. Aos 10 anos começa a sua formação musical, estudando solfejo e guitarra clássica. Aos 14 anos inicia a sua jornada no Teatro, realizando um curso intensivo com Carlos de Almeida (Teatro Independente de Oeiras). Fez teatro amador no TAESO, com a actriz e encenadora Susana Arrais e participou em peças de teatro infantil e teatro-dança.
Licenciou-se em Ciências da Comunicação e da Cultura, na Universidade Lusófona, em 2004 e em Artes Performativas, na Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa (ESTAL), em 2009, com a coordenação da actriz
Maria João Luís e Pedro Domingos. Teve como professores e encenadores Miguel Borges, Dinarte Branco, Gonçalo Amorim, Madalena Vitorino, João Fiadeiro, Nuno Pino Custódio, Aldara Bizarro, Romeu Costa, Catarina Câmara, Sofia Cabrita, Marta Carreiras, Pedro Domingos, entre outros. Estudou a Técnica Meisner, com John Frey, em Jonh Frey Studio for Actors.
Em 2012, criou o GERADOR Teatro e encenou “Loucos Por Amor” de Sam Shepard.


Salvador Nery nasce a 26 de Dezembro de 1989 em Lisboa, tendo começado o seu percurso como actor em 1998, com a Sitcom “Uma casa em Fanicos”, série protagonizada e dirigida por Nicolau Breyner. Seguem-se "Uma Aventura" e "Os Santos da Casa".

Em 2010 começa uma longa colaboração com o grupo de Teatro da Associação Cultural Confluência, onde participou em projectos como: "Dia do Consumidor" "Mãe Natureza", Recital de poesia "Amor Intemporal", e "A Música e a Alma", todos eles de Autoria de Maria Helena Torrado e com encenação de Ricardo Carriço.

Durante cerca de um ano e meio, conclui um workshop e um curso intensivo na técnica de Meisner dados pelo actor e professor Norte Americano John Frey. No decorrer da formação, faz uma paragem de um mês e meio para gravar a sua primeira longa-metragem como protagonista, "A Rapariga da Máquina de Filmar", nomeada recentemente para melhor longa-metragem no festival "Caminhos do Cinema Português".

É o actual apresentador do Programa Infantil Art Attack que já decorre há três temporadas, e os seus trabalhos mais recentes para além das curtas metragens “Manifesto dos Danados” e “Pária, Nem tudo o que vem à rede é peixe”, passam pela mini-série Infanto-Juvenil “1+1” para a R.T.P., e também com uma participação de 15 episódios na Novela “Louco Amor” para a TVI.


Matilde Breyner é actriz, formada em Humor e Comédia pela Act-escola de actores, tendo vindo a frequentar diversos workshops no John Frey Studio for Actors. Estreou-se aos 11 anos no teatro, sendo que a sua estreia profissional acontece em 2011 com a peça Mais Respeito que sou tua Mãe, produzida pela UAU e em 2013 segue-se a peça TOC TOC, da mesma produtora. Em televisão teve a sua estreia com a série Morangos com Açucar, em 2004, tendo vindo posteriormente a participar noutros projectos televisivos. Destaca-se a sua participação na série A Mãe do Sr. Ministro, emitida em 2013 pela RTP. Actualmente está no ar com a novela A Única Mulher, da tvi.

Ana Nasceu em Braga em 1991, onde teve o seu primeiro contacto com o teatro no Tin.Bra, em 2000, onde se mantém até hoje como actriz e dirigente. Licenciou‐se em Teatro ‐ Interpretação e Encenação na Escola Superior Artística do Porto (ESAP), e conclui recentemente o grau de mestre em Artes Performativas na ESTC, com especialização em Teatro‐Música. Obteve formação na técnica de Meisner no John Frey Studio for Actors. A par do seu percurso académico, tem apostado paralelamente em formações de curta duração, tendo trabalhado com Júlio Cardoso, Marie Brand, Nancy Bishop. Fez a sua formação básica no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga, onde cursou, entre outros, violino, piano e canto, e se estreou no teatro musical com Música no Coração. Profissionalmente, integrou o elenco de A Faca ‐ o Homem‐Noite e O Anjo do Silêncio, encenado por Roberto Merino, e do filme Vales da Destruição de Sério Fernandes, e fez direcção de cena em Danny e o Profundo Mar Azul, encenado por John Frey.